sexta-feira, 8 de março de 2013

Pais que choram

Per la lettura in lingua italiana, clicca qui:  
Lacrime al figlio

Por um minuto eu queria
Afagar novamente teus cabelos
Fazer-te um carinho, um cafuné
Sentir teu cheiro, por um minuto sequer
Só um minuto.
Ó, meu amado filho
Eis que a distância entre nós
É agora eterna
Meu amor por ti, porém, permanece
Onde está meu garoto?
Sinto tua voz e não te vejo
Vejo-te e não estás
Um minuto eu peço
Para olhar mais uma vez nos teus olhos
Para dizer que te amo
Para te dizer obrigado
Para chorar e sorrir em demasia
E concomitância
Ó meu filho, por quê?
Encontro-me, às vezes, com raiva
Do mundo, que não mais te tem
Dos teus brinquedos, que agora estão lá imóveis
Da janela, que é sem teu rosto
Da calçada sem os teus passos
É tudo saudade! É tudo sem ti!
Às vezes vejo em preto e branco.
Um minuto, meu filho, um minuto
E foste embora
Deixando-nos aqui sem o teu brilho
E tuas cores.
Levando contigo um pedaço do mundo,
Do meu mundo,
E de cada um de nós.
Tenho sono, sim
Também sede e fome
E a vontade de gritar bem alto teu nome
Incessantemente.
Uma lágrima me interrompe...
Um minuto
O relógio continua...
Aquele minuto nao volta
Menino, sinto a tua falta.
Wagney Hipolito 02/03/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário