quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Movimento dos corpos

Per la lettura in lingua italiana, clicca qui: 
Moto dei corpi

Como uma partícula
Da população
Eu sou
Dentro de mim um núcleo
De onde me alimento de energia positiva
Para viver
E combater, neutralizando,
Aquelas negativas
Que giram ao nosso redor.
Nem sempre fui assim
E sofria muito
Vivia ilusões
Colhidas no externo
Depois de tanto tempo procurando
E de tantas lágrimas derramadas
Encontrei a paz dentro di mim
Aprendi a conviver com meu eu
E a conviver com o mundo
Agora sou eu que me comando.
Tantas mudanças
Sem nunca deixar de amar
Porque o amor não é um ponto de chegada
Mas um ponto de partida
E o meu núcleo é cheio de amor.
Estou feliz.
Nao busque entender ou ver
Esse meu núcleo, não te levarà a lugar algum
Prove a sentir o teu
Preste atenção ao que deixe
E ao que coloque lá dentro
Porque é de lá que vem você mesmo.
Talvez você vai chorar
Não tenha medo de chorar
O choro purifica teu núcleo
E melhora a tua visão
Você tem de querer as mudanças,
Mas não é o suficiente,
É necessário o agir
E para agir, é necessário o amor
Quando você alcançar tal ponto,
Você se sentirá renascido
A redescobrir o mundo
E os seus conceitos.
Creio que naquele dia você vai rir
Ao perceber quanto tempo
Você corria atrás a banalidades
Entenderá que não é o aspecto físico
Que nos torna diferentes, talvez antes
Mas não neste nível
Entenderá que é necessário muito pouco
Para um sorriso
Mas muita coragem para aceitá-lo
Entenderá mais facilmente os outros
E não sentirá a mesma necessidade
De querer ser entendido
Entenderá que vale muito mais o anonimato
Que medalhas penduradas no peito
Não posso te dizer tudo, porém
Deve descobrir coisa te espera
Você pode ficar onde está agora,
Junto às tuas dúvidas,
Ou pegar a estrada
Onde a natureza dos tuas ligações
Será compreensível.
Paro por aqui
Agora é com você.

Wagney Hipólito 02/01/2014