sexta-feira, 10 de julho de 2015

Reflexos de um silêncio

Per la lettura in lingua italiana, clicca qui:
Riflessi di un silenzio

Dói o silêncio da mesa
E o olhar triste do teu copo vazio
E imóvel agora
E que torna meu reflexo ainda mais triste.
Nem tua cadeira fala mais comigo
Desde o dia da tua viagem.
Talvez seja eu
Que já nao percebo alguns detalhes
Perdido fico nas folhas que leio
Das gavetas abertas no cérebro.
Ó pensamento,
Refúgio daquele que ama,
Acalma o meu sofrimento
A ausência que meu corpo sente.
O jantar está pronto. Tu não vens?
O jantar acabou e tu não vieste,
Mas pude te ver e foi bom.
Uma porta se fecha,
Uma luz se apaga,
E agora sou passos lentos na escada.
Tudo sem ti é lento demais...
O tempo não passa e já é tarde
Agora comigo o silêncio do quarto,
Cúmplice dos nossos momentos,
Onde tenho sonhos mais próximos à realidade
E de olhos abertos contemplo
Um amor que me conserva
Inteiramente feliz.
Boa noite.

Wagney Hipolito 10.07.2015